Conheça as vantagens e torne-se nosso associado »Associar-seBenefícios

PROJETO FORMAÇÃO AÇÃO N.º FSE-000401

Designação do projeto | FORMAÇÃO PME: Projetos Conjuntos de Formação – Ação para PME
Código do Projeto | POCI-03-3560-FSE-000401
Objetivo Principal | Apoiar projetos exclusivamente de formação, com recurso à metodologia formação ação, que visem melhoria das PME em 4 áreas temáticas
Público-alvo | Micro, pequenas e médias empresas
Organismo Intermédio | Associação Empresarial de Portugal
Entidade Promotora | APEMETA – Associação Portuguesa de Empresas de Tecnologias Ambientais
Área Geográfica | Norte, Centro e Alentejo
Data de aprovação | 16-11-2016
Data de início | 09-05-2017
Data de conclusão  | 31-07-2019
Custo Total Elegível | 1.307.652,51€
Apoio financeiro da União Europeia | FSE – 944,616.52 EUR


É com enorme satisfação que comunicamos que a APEMETA, como entidade promotora, executou mais uma vez, com grande sucesso um projeto de Formação – Ação nas PME – Projetos Conjuntos, no âmbito do Portugal 2020 | COMPETE 2020, que contou com a AEP/CCI – Associação Empresarial de Portugal, Câmara do Comércio e Indústria, como Organismo Intermédio.

Neste projeto foi possível apoiar 104 empresas distribuídas pelas regiões Norte, Centro e Alentejo prestando serviços de consultoria formativa e formação (financiada) em contexto laboral.

Através deste projecto, a APEMETA obteve os seguintes resultados ao nível de execução física e execução financeira:

Indicadores Físicos

Nº Empresas apoiadas: 104 empresas

  • 33 empresas na área temática de Economia Digital;
  • 15 empresas na área temática de Implementação de Sistemas;
  • 18 empresas na área temática de Internacionalização;
  • 38 empresas na área temática de Organização e Gestão

Ao nível dos colaboradores apoiados estavam previstos 578 formandos, sendo que o projeto envolveu no seu total 630 formandos (correspondendo a uma média de 2 formandos por microempresas, 6 formandos por pequena empresa e 8 formandos por média empresa):

  • 211 trabalhadores na área temática de Economia Digital
  • 102 trabalhadores na área temática de Implementação de Sistemas
  • 100 trabalhadores na área temática de Internacionalização
  • 217 trabalhadores na área temática de Organização e Gestão

Relativamente ao volume de formação, estava previsto um volume de formação total de 88.060 horas, sendo que no final do projeto, o volume de formação total foi superior ao inicialmente previsto (100.540,5 horas).

 

A importância do projeto

A parceria entre a APEMETA e a AEP promoveu um forte impacto nas empresas participantes, nas regiões em que concorreu (Norte, Centro e Alentejo), tendo sido este impacto muito significativo, tanto mais que as empresas que participaram, tiveram a possibilidade de potenciar o seu desenvolvimento de uma forma sustentada, tendo algumas delas, para além de vincarem o seu posicionamento no mercado nacional, encetado uma nova dinâmica em termos internacionais. A este novo posicionamento não foi alheio um vasto conjunto de iniciativas complementares, ao nível da internacionalização do sector, levadas a cabo também pela APEMETA.

A metodologia que o programa Formação PME utiliza, MPPO, permitiu uma grande envolvência por parte da generalidade dos colaboradores das empresas participantes, abarcando vastas áreas organizacionais das empresas, cobrindo debilidades que porventura existissem no desenvolvimento das respectivas actividades. O seu despiste na fase de Diagnóstico, permitiu compreender as dificuldades de cada uma das empresas, muitas das quais não perceptíveis no próprio seio das organizações, e das necessidades de apoio em termos de consultoria e formação, o mais alargadas possíveis aos colaboradores das empresas.

A possibilidade que foi dada aos empresários de analisarem uma consultoria direccionada para a sua realidade específica, proporcionou-lhes não só um conhecimento do seu posicionamento, mas também um reforço da formação, realizada à luz dos seus próprios dados económico-financeiros. Houve, assim, a possibilidade de compreender a génese de cada situação em particular – vindo desde a fase de Diagnóstico com uma análise prévia -, com um aprofundamento ao nível da consultoria, acompanhado pela definição das melhores estratégias para cada caso e para cada temática a intervencionar.

Registam-se algumas conclusões importantes:

  • as áreas com maior incidência em termos de consultoria e formação foram: condições internas da empresa ao nível de organização e gestão (38 empresas), seguida de economia digital (33 empresas);
  • o enorme aproveitamento que as organizações obtiveram deste processo de consultoria, permitiu-lhes um novo enquadramento e um novo posicionamento em termos do seu relacionamento com o mercado e com toda a envolvente empresarial em que se insere;
  • as organizações ficaram com valor acrescentado em termos de meios de funcionamento e desenvolvimento da sua actividade.

A APEMETA, detendo já uma forte experiencia na gestão desta tipologia de programas – Programas Formação-Acção -, obteve também um forte enriquecimento técnico com a adopção da metodologia MPPO proposta pela AEP.

A articulação entre as duas Associações teve um incremento constante na sua operacionalidade, fruto da experiência, do conhecimento das metodologias e do próprio relacionamento pessoal, aspectos que contribuíram para o sucesso que esta edição obteve junto do público-alvo proposto pela APEMETA, e pela forma como os respectivos objectivos foram atingidos.

Principais conclusões

  • Os empresários assumem que o principal motivo que os levou a aderir ao programa foi a oportunidade para desenvolver as competências dos trabalhadores.
  • Assumem igualmente uma importância considerável à oportunidade do levantamento de necessidade/diagnóstico da empresa e ao desenvolvimento de ações de melhoria, bem como à oportunidade para desenvolver as competências de gestão de empresários/dirigentes.
  • Os fatores que auferem uma maior satisfação ao empresário são o cumprimento do cronograma acordado (mesmo que por vezes tenha sofrido alterações por diversos fatores) e por outro lado a flexibilidade de cronograma, consoante a disponibilidade da empresa/colaboradores (dentro do período exigido pelo programa).
  • Os empresários destacam ainda o desempenho global dos consultores-consultores formadores na empresa.
  • Um fator que pode oferecer uma menor satisfação ao empresário é a formação interempresa, ainda oferecendo alguma resistência para este facto acontecer.
  • Na empresa, os maiores impactos foram sentidos na organização interna, no funcionamento interno e no aproveitamento dos recursos humanos.
  • Através do projecto FPME a maioria das melhorias sentidas estão relacionadas com a área dos recursos humanos, tendo-se verificado num curto espaço-tempo, uma melhoria significativa na organização do trabalho e do funcionamento interno da empresa, sendo este também um dos principais motivos que levaram os empresários a querer participar no programa e futuramente, ponderarem, repetir (caso seja possível).
  • No que diz respeito às percepções de impacto das melhorias adquiridas através do FPME, é possível verificar que todos os formandos após a sua participação no projeto de sentiram mais aptos para a inovação e gestão aptas a sua participação.
  • A grande maioria das empresas implementou planos de mudança organizacional associados à formação de forma positiva.

Este programa está ao abrigo do regime de auxílios de Minimis.


Mais Informações:
Cláudia Diogo | Sofia Santos
tecnico@apemeta.pt | sofia.santos@apemeta.pt
http://www.apemeta.pt