Conheça as vantagens e torne-se nosso associado »Associar-seBenefícios

PestNu: Field -testing and demonstration of Digital and Space based technologies with Agro-ecological and Organic practices in systemic innovation

Identificação do projeto | Acordo de subvenção 101037128
Designação do projeto | PestNu: Field -testing and demonstration of Digital and Space based technologies with Agro-ecological and Organic practices in systemic innovation (Teste e demonstração em campo de tecnologias digitais e espaciais com práticas Agroecológicas e Orgânicas em inovação sistémica)
Tipo de Ação| Ação de Inovação
Programa e Eixo de Candidatura | Horizonte 2020, Pacto Ecológico Europeu, LC-GD-6-1-2020
Consórcio e entidade coordenadora | 20 parceiros, 9 países, coordenado pelo Centre for Research and Technology-Hellas (CERTH)
Data de início | 01/10/2021
Data de conclusão | 31/09/2024
Custo total elegível | 7.438.050,10 €
Apoio financeiro da União Europeia | 6.000.960,00 €
Apoio financeiro da União Europeia à APEMETA | 246.250 €


Conceito

O PestNu é um projeto europeu que visa revolucionar as tecnologias da informação e comunicação e as práticas de agricultura biológica para redução da dependência de pesticidas perigosos e da perda de nutrientes dos fertilizantes, rumo à poluição zero dos compartimentos ambientais água, solo e ar e, em última análise, para redução do uso de fertilizantes e aumento da segurança alimentar e acessibilidade dos alimentos para todos. O PestNu combina novas Tecnologias Digitais e baseadas no Espaço (DST – Digital and Space-based Technologies) e Práticas Agroecológicas e Biológicas (AOP – Agro-ecological and organic practices) numa abordagem de inovação sistémica e economia circular ao longo da cadeia do Prado ao Prato (Farm-to-Fork). O PestNu testará e demonstrará em campo as inovações sistémicas em aquaponia, estufas hidropónicas fechadas/semifechadas, e no cultivo de produtos hortícolas ao ar livre, em diferentes condições, solos e culturas, (tomate, pimento e pepino).

Inovações

O consórcio junta e desenvolve DST emergentes incluindo armadilhas robóticas de Inteligência Artificial (IA) para monitorização e controlo de pragas em tempo real (sobretudo insetos); Robots com navegação autónoma para monitorização de pesticidas (pragas fúngicas, insetos) e pulverização pontual 3D; sistemas de mapeamento de anomalias agrícolas por meio de amostragem inteligente e gestão diferenciada através de algoritmos robustos de IA do AgroRadar usando dados/serviços do programa Copernicus das Missões de Observação da Terra de próxima geração da Agência Espacial Europeia; e ainda analisadores de nutrientes robustos, digitais, in-situ e em tempo real.

Todas as DST serão interligadas através de um Sistema digital de Apoio à Decisão (DSS) para a Gestão Integrada de Pragas (IPM) e Gestão Integrada de Nutrientes (INM). O DSS integrará Blockchain para verificação e análise de dados das DST e sua integridade, modelos analíticos para suporte e apoio à decisão e cibersegurança para prevenir ataques cibernéticos e vulnerabilidades.

As AOP incluem a produção de um biopesticida foliar (formulado em operações de bioeconomia circular a partir de resíduos alimentares) contra agentes fúngicos, e com efeito nutricional; e a produção local/on-site de biofertilizantes via um sistema automatizado de reciclagem das águas residuais agrícolas que “transformará” a biomassa fabricada (microalgas) em biofertilizante. Serão testados em campo programas avançados de nutrição para agricultura biológica a par com os novos bioprodutos do PestNu.

Abordagem

Este leque de soluções DST e AOP será testado e demonstrado em aquaponia, numa estufa hidropónica e no cultivo de produtos hortícolas ao ar livre em unidades na Grécia e em Espanha.  Através de um Programa de Redução de Pesticidas serão avaliados os resíduos de pesticidas e os níveis diários de ingestão aceitável para assegurar a segurança alimentar dos vegetais e efetuadas análises de ciclo de vida (LCA) e existirão atividades e parceiros também focados promoção da aceitação das DST & AOP e dos produtos no retalho e consumo.

Para além da demonstração em campo das diversas tecnologias emergentes, este projeto faz uma forte aposta numa abordagem multi-atores a multi-setorial. Prevê o envolvimento de todo o tipo de participantes, dos agricultores às empresas, consumidores e cidadãos, passando por investidores, empreendedores, PME, jovens profissionais, ligando o setor agro-alimentar ao do ambiente e ao das tecnologias da informação entre outros, assim como uma estreita ligação com a Comissão Europeia, decisores e reguladores.

Objetivos

O1. Análise sistémica e profunda para melhorar a sustentabilidade, resiliência, segurança alimentar e acessibilidade para todos
O2. Implementação e scale-up de TDE
O3. Implementação e scale-up de PAO
O4. Configuração sistémica pré-piloto das TDE e PAO em sistemas alimentares circular para demonstrações de campo e otimização
Ο5. Testes de campo e demonstração da inovações sistémicas de DST e AOP numa unidade de aquaponia e numa unidade de produção de hortícolas em campo aberto e avaliação de seu desempenho sistémico na prática quotidiana
O6. Ações abertas de Ciência e Inovação numa abordagem multiatores e intersetorial
O7. Cooperação com os serviços da União Europeia

Impactos Esperados

  • Reduzir o uso de pesticidas e fertilizantes em 50% até 2030
  • Facilitar agricultura biológica integral com ferramentas de agricultura de precisão e métodos agroecológicos
  • Melhorar o rendimento alimentar em 30%
  • Utilizar de uma abordagem multi atores ao longo do Prado ao Prato com mais de 150 membros no Conselho Consultivo do PestNu
  • Reduzir custos de produção em pelo menos 30%
  • Fornecer alimentos saudáveis, nutritivos, seguros e acessíveis para todos
  • Reduzir os preços dos alimentos biológicos em 20%
  • Avaliar resíduos de pesticidas e criação de um catálogo ecotox com base no índice ecotox
  • Comunicar com mais de 5.000 stakeholders e partes interessada

Principais resultados dos primeiros 12 meses

Entre os resultados destes primeiros 12 meses destacam-se:

  • A análise sistémica de aspetos relevantes para assegurar a sustentabilidade e resiliência da produção alimentar de alimentos saudáveis, nutritivos, seguros e acessíveis para todos.

Graças ao sucesso alcançado com a adesão de operadores, instituições públicas e privadas e cidadãos aos questionários promovidos pelo PestNu, foi possível ao consórcio perceber quais os requisitos e necessidades dos principais atores da cadeia do prado ao prato a ter em conta no desenho e arquitetura das inovações em desenvolvimento, assim como nos testes e demonstrações que irão decorrer futuramente. Adicionalmente o PestNu fez também uma análise sistémica e aprofundada, numa lógica de benchmarking, das inovações DST&AOP à luz, entre outros, dos dados dos mercados europeu e global e dos objetivos traçados pelas políticas europeias no âmbito do Green Deal (os relatórios com estes resultados estarão brevemente disponíveis para consulta pública sob a forma de deliverables, no website do projeto)

  • A construção, no website pestnu.eu de uma plataforma digital de suporte ao setor

Já online, o website www.pestnu.eu disponibiliza diversas ferramentas atuando como plataforma digital de apoio ao setor Agrícola e demais atores. Para além da disseminação do projeto e relatórios de resultados, na Plataforma Digital do PestNu é possível aceder a Boas Práticas, materiais de suporte à Capacitação sobre as diversas tecnologias e práticas desenvolvidas, tendências de Mercado e instrumentos de Planeamento (nos diversos países do consórcio).  A plataforma permitirá ainda, a todos os registados, o acesso uma ferramenta de matchmaking focada em Oportunidades de Negócio e Investimento. Para acompanhar todas estas novidades, todos os potenciais stakeholders poderão inscrever-se utilizando o botão sign in logo na página inicial.

Atividades atualmente em curso

  • Consolidação da rede de contactos portuguesa

Se o projeto PestNu despertou o seu interesse e gostaria de ficar a parte das suas atividades e outras informações subscreva a nossa lista de contactos para que o possamos contactar diretamente sempre que haja eventos, ou outras informações relevantes! Basta preencher este formulário.

  • Procura de sinergias

Procuramos contactos e projetos que tenham interesse em estabelecer sinergias com o PestNu por terem focos, público-alvo, instrumentos ou qualquer outro ponto em comum. Se tiver interesse em aprofundar essa possibilidade, por favor, não hesite em contactar a APEMETA (Rita Barros Silva, rita.silva@apemeta.pt).

Saiba mais:

Saiba mais sobre o projeto PestNu em www.pestnu.eu e redes sociais
Facebook: PestNu
Linkedin: PestNu
Twitter: @PestNu_

Para subscrever a newsletter: https://pestnu.eu/newsletter/pestnu-newsletter

  • Folheto do projeto em Português
  • Folheto do projeto em Inglês
  • Apresentação do projeto em 6/12/2021 no Seminário APEMETA – A Sustentabilidade dos Compartimentos Ambientais: Solos, Água e Ar – Desafios e Soluções
  • Apresentação do projeto no Workshop Nacional PestNu (Beja, 22/04/2022)
  • Sumário do primeiro Workshop Nacional de Divulgação do Projeto e Promoção de Sinergias (Beja, 22/04/2022)

 

Noticias Relacionadas:

PestNu | 12 meses de resultados partilhados e discutidos em Portugal – Apemeta

PESTNU| ACOMPANHE ONLINE O EVENTO DE CLUSTERING COM OUTROS PROJETOS EUROPEUS, 7 JULHO

PESTNU | QUESTIONÁRIOS EM CURSO PARA CIDADÃOS E PARA INSTITUIÇÕES PÚBLICAS E PRIVADAS

PestNu| Workshop Múrcia, Espanha, 23 junho de 2022 – Apemeta – Apemeta

PestNu | Questionários em curso para cidadãos e para instituições públicas e privadas – Apemeta – Apemeta

PestNu – APEMETA realizou primeiro workshop nacional de divulgação e promoção de sinergias – Apemeta – Apemeta

PESTNU – TECNOLOGIAS E PRÁTICAS PARA A REDUÇÃO DA DEPENDÊNCIA DE FERTILIZANTES E PERDA DE NUTRIENTES

PESTNU – PARA A SUSTENTABILIDADE DA AGRICULTURA NA CADEIA DO PRADO AO PRATO

SEMINÁRIO DIGITALIZAÇÃO E PRÁTICAS AGRO-ECOLOGICAS NA PROMOÇÃO DAS PLANTAS E DO SOLO – O CONTRIBUTO DAS TECNOLOGIAS DO PROJETO PESTNU NA TRANSIÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE DA AGRICULTURA | 22 DE ABRIL 2022 | BEJA, PORTUGAL


Mais Informações:

• Coordenador do projeto | Dr Ria Pechlivani | riapechl@iti.gr
• Departamento de Projetos e Serviços APEMETA | Rita Silva | rita.silva@apemeta.pt